Matérias

Zona Leste recebe encarada oficial das 14 lutas do Arena Combat The Jungle

Um dos maiores eventos, conhecido pelo público fiel que aprecia as lutas de Jiu-Jiutsu, da zona Leste da cidade vai realizar na tarde deste sábado, dia 26, de 16h as 18h, na Praça de Alimentação do Shopping São José, localizado na Alameda Cosme Ferreira, zona Leste da capital, a encarada oficial do Arena Combat The Jungle. O evento acontece no dia 2 de junho, a partir das 19h30, na Quadra da Escola de Samba Grande Família, no mesmo bairro.

O evento que chegou no sucesso de sua 13ᵃ edição contará com 11 lutas de Jiu-Jitsu sem kimono e duas disputas de cinturão, entre os atletas renomados Laércio Lima, Leandro Gama, Carlos Luciano e Saul Abtibol. Durante a encarada ocorrerá uma coletiva de apresentação dos atletas, Já no dia 1° de Junho acontece a pesagem oficial nos horários de 11h a 12h também no Shopping São José e no dia 2 de junho a partir das 19:30 na quadra da grande família acontecerá o combate com os melhores atletas de luta de solo do amazonas.

Fotos: Divulgação

Os bilhetes estão sendo vendidos no valor de R$20. Mais informações através do contato: (92) 99309-5400.

 

Confira o card:

 01 – Juliana Vasconcelos  (Projeto vecedor) vs Karla Costa (Academia João Neto) Até 50k

02 – Flávia Lima (Academia João Neto) vs Cibely Lopes (Mutação Combat Team) Até 52k

03 – Rickson Pereira (Mutação Combat Team) vs Wilian Neto (Cll Iranduba)Até 70k

04 – Edson Júnior (Ps2 Team) vs Augusto César (Chiquinho Top Team) Até 75k

05 – Cláudio Júnior (Clube Freitas) vs Lucas Moreira ( Acdemia João Neto)Até 80k

06 – Patrick Barros (Mutação Combat Team) vs Romário Coimbra (Academia João  Neto) Até 85k

07 – Ricardo Aranha (Team Cardoso) vs Gabriel Ribeiro (Team Sonic) Até 70k

08 – Jhonatan Silva (Chiquinho Top Team) vs Lucas Custódio  (Academia João Neto)Até 75k

09 – Jackson Brandão (Team Cardoso) vs Elbert Amorim (Academia João Neto) Até 60k

10 – Thiago Freitas (Clube Freitas) vs Elton Barbosa (Able Jiu Jitsu)Até 70k

11 –  Eder Morais (Clube Freitas) vs Lucas Keniao (White House)Até 95Ka

12 – Elias Freitas (Clube Freitas)vs Hofranio FaFá  (Carlos Holanda)Até 80k

13 – Saul Abtibol (Ps2 Team) vs Carlos Luciano  (Mutação Combat Team)Até 100k DISPUTA DE CINTURÃO

14 – Laércio Lima (Of Luis Neto) vs Leandro Gama (Cll Iranduba) Até 95k DISPUTA DE CINTURÃO

Texto, Fabi Campos

Lutadores manaquirienses dão show de combate no interior do Amazonas

Com um público de aproximadamente quatro mil pessoas, o ginásio José Lins, em Manaquiri, município distante 60 quilômetros em linha reta de Manaus, teve as arquibancadas lotadas para apresentar os lutadores manaquirienses que deram um verdadeiro show de MMA no Manaquiri Fight Combat (MFC), realizado na noite do último sábado (31), comprovando a cidade como um celeiro de campeões.

Fotos: Lorena Furtado

Os combates tiveram início com a luta entre o local, “Pequeno Moica” e o manauara Braia Andrade, que protagonizaram um duelo eletrizante, de três rounds bastante movimentado e que acabou coroando o “dono da casa”, “Pequeno Moica” como campeão por decisão dividida, levando a torcida ao delírio.

Fotos: Lorena Furtado

Apoiado pelos gritos da torcida, Elson “Monstrinho”, só precisou de 1m46seg para derrotar Erismar Soares por nocaute técnico. Arneison “Fúria” também entrou para o time de campeões da cidade, ao derrotar Deuberto “Soldado” por nocaute técnico aos 3m47seg do primeiro round.

Luiz do “Bronx” completou o time de campeões, ao finalizar Lucas Almeida com uma americana, aos 1m56 do primeiro round. Em um dos combates mais emocionantes da noite, a Comissão Atlética de MMA (CAMMA-AM), acabou declarando o empate entre Henrique Santos e Arthur Fernando.

Na luta principal do evento, Felipe “Monster” (Katros) venceu Luan “Pedra” (Leão de Judá Fight Team), por nocaute técnico aos 2m12 do primeiro round. No único combate feminino, Rafaela Faranche derrotou Hannyê Watson, por nocaute técnico aos 3m10 do segundo round.

Fotos: Lorena Furtado

Mostrando um jiu-jitsu afiado, os atletas Wilson Cirilo, Alex “Malandrinho” e Patrick “Pitbul” esbanjaram técnica. Wilson Cirilo finalizou Felipe Silva com um mata-leão aos 1m21 do segundo round. Alex “Malandrinho” finalizou Fabio Lima com uma guilhotina aos 3m53 do segundo round e Patrick “Pitbul” finalizou Joao Gabriel com uma guilhotina aos 3m4seg do terceiro round.

Diante de tantos nocautes e finalizações, os empresários Jeferson de Paula e Neto Façanha, tiveram dificuldade para escolher os atletas destaques do evento, para lutar no Top Fight Manaus, marcado para junho, em Manaus. “Ficamos surpresos com o nível técnico dos lutadores. Está difícil escolher, são muitos talentos. Essa noite de lutas mostrou que os municípios do Amazonas têm bastante lutador com muito potencial”, declarou Jefferson.

Fotos: Lorena Furtado

Feliz com o sucesso da primeira edição do MFC, os organizadores Ed “Gorila” e Patrick de Paula, já pensam na segunda edição. “O Manaquiri Fight Combat superou todas as expectativas. A população de Manaquiri e municípios vizinhos vieram conferir esse grande evento. Em novembro vamos trazer algo muito maior para essa cidade, a segunda edição vai entrar para a história de Manaquiri”, relatou Ed “Gorila”.

Satisfeito com a repercussão do evento, o prefeito da cidade, Jair Souto, confirmou compromisso com o esporte e a realização dos grandes eventos em Manaquiri. “Sabemos que o esporte é importante para a sociedade, traz disciplina e resgata os sonhos, por isso nosso apoio total ao esporte. Todo mês estamos realizando um grande evento na cidade, o Super Chef foi um sucesso, agora foi a vez do MFC e no próximo mês vamos realizar o Expo Manaquiri”, relatou o prefeito.

 

Confira o resultado completo:

– Pequeno Moica venceu Braia Andrade por decisão dividida

– Wilson Cirilo venceu Felipe Silva por finalização (mata-leão) aos 1m21 do 2º round

– Rafaela Farach venceu Rhannier Woston por nocaute técnico aos 3m10 do 2º round

– Alex “Malandrinho” venceu Fabio Lima por finalização (guilhotina) aos 3m53 do 2º round

– Patrick Pitbul venceu Joao Gabriel por finalização (guilhotina) aos 3m4seg do 3º round

– Arthur Fernando e Henrique Santos empate

– Elson Monstrinho venceu Erismar Soares por Nocaute técnico aos 1m46seg do 1º round

– Arneison Fúria venceu Deuberto Soldado por nocaute técnico aos 3m47seg do 1º round

– Luiz do Bronx venceu Lucas Almeida por finalização (americana) aos 1m56 do 1º round

– Felipe Monster venceu Luan “Pedra” por nocaute técnico aos 2m12 do 1º round

Noite de homenagens: Aclea e No Podio comemoram o Dia do Profissional da Imprensa Esportiva premiando comunicadores

O Portal de Noticias Esportivas “No Pódio” em parceria com a Associação de Cronistas e Locutores Esportivos do Amazonas (ACLEA), realizou, na noite desta terça – feira (20), a entrega do Prêmio Profissional da Imprensa Esportiva, edição 2018. O evento aconteceu na Arena da Amazônia, localizada na Avenida Constantino Nery, bairro Flores, em alusão a data do dia 20 de fevereiro, comemorada no dia do aniversário de Carlos Zamith uma das figuras mais importantes do jornalismo esportivo.

Os profissionais condecorados, de diversos veículos de comunicação, foram agraciados com o certificados e troféus de melhores profissionais da categoria. Entre eles: Arnaldo  Santos; Amarildo Silva; Emanuel Siqueira; Chagas Barbosa; Carlos Martins; Zezinho Bastos; Oreste Litaiff, Ivan Guimarães; Thiago Guedes; Leanderson Lima; Rafael Campos; Thiago Herculano; Gilmar Couto; Gabriel Seixas; Ennas Barreto; Larissa Balieiro e outros.

Para entregar os prêmios para o jornalista Arnaldo Santos, conhecido como a legenda do rádio amazonense, o autor e idealizador do projeto que instituiu o Dia Municipal do Profissional da Imprensa Esportiva, vereador Professor Samuel entregou o prêmio discursou elogios sobre o homenageado e parabenizou os organizadores do evento.

Professor e alunos do projeto Lutando pelo Bem/Academia Cícero Costha Manaus buscam renovação de títulos na Copa Brunocilla de Luta Livre Esportiva

Por: Lorena Furtado

Há seis anos na capital amazonense, o projeto social Lutando pelo Bem, do professor Luiz Henrique, responsável pela Academia Cícero Costha Manaus, vem formando atletas e ensinando, por meio das artes marciais, crianças, jovens e adultos a tornarem-se cidadãos de bem e preparados para a vida.

O projeto, que está localizado no bairro Raiz, zona Sul da cidade, conta com a participação de 48 lutadores, entre homens e mulheres das mais diversas categorias, que participam das competições voltadas para o jiu-jítsu e a luta livre esportiva, sendo estes ensinados pelo professor Luiz Henrique, que é faixa preta das duas modalidades.

Projeto promove o ensino de artes marciais como jiu-jítsu e luta livre, e já é bastante conhecido em Manaus. (Foto: Acervo pessoal da academia)

Dentre os destaques da academia estão os atletas Ronaldy Santana, 17, e Carlos Ezequiel, 16, ambos graduados com a faixa azul. Os adolescentes treinam no local desde o começo de suas atividades e já possuem diversas conquistas, sem contar com o título de melhores do ano em suas categorias, reconhecidos pela Federação Amazonense de Luta Livre e Submission (Fasub). De acordo com o professor Luiz Henrique, o L.H., restam dois campeonatos para que seus atletas conquistem novamente esse feito.

“Estamos nos preparando para a Copa Brunocilla de Luta Livre Esportiva. A competição vale ponto para o ranking dos melhores do ano. Tanto o Ronaldy quanto o Carlos Ezequiel já ganharam duas das quatro disputas que definem essa conquista, que foram a Copa Norte/Nordeste de Submisson e a Copa Brasil de Luta Livre Esportiva. Fora o próximo campeonato, resta o Amazonense de Submission para então consagrarmos mais essas duas vitórias para nossos atletas”, explicou o professor Luiz Henrique.

Carlos Ezequiel (sentado) e Ronaldy Santana (terceiro atleta da esquerda para a direita, em pé), em treino realizado na academia, coordenado pelo professor Luiz Henrique (ao centro). (Foto: Acervo pessoal da academia)

E como exemplo para os atletas do projeto, não serão apenas os alunos que deverão mostrar seus ensinamentos. Para a próxima competição, o mestre também estará participando como lutador e buscará o seu terceiro título como melhor do ano em sua categoria e o quarto no campeonato.

A Copa Brunocilla de Luta Livre Esportiva, organizada pela Fasub, será realizada no próximo domingo, dia 17, a partir das 9h30, no Ginásio João do Peso, localizado na Rua General Glicério, bairro Cachoeirinha, zona Sul de Manaus.

Copa Brunocilla será realizada no próximo domingo, no bairro Cachoeirinha. (Foto: Divulgação)

No Cardume: Conheça a história do grupo de amigos apaixonados pela pesca esportiva no Amazonas

Parece um lugar estranho para um encontro de conversas entre qualquer grupo apreciador, mas o cenário do local escolhido para esse evento, já diz tudo sobre a paixão dos amantes e amigos da pesca esportiva. Apuaú, é o local que apoia o encontro dos amantes da pescaria, leva o nome de um Rio frequentado pelo proprietário do estabelecimento quando era criança. “Sou pescador desde criança, aprendi com meus pais, tios, pais dos meus amigos que sempre iam pescar pelo Rio Negro, Tarumã e outros rio da região amazônica. Mas um rio emocionante que eu nunca esqueci foi o Apuaú”, explicou com brilho nos olhos o arquiteto Luís Matias Junior.

Parte do grupo “No Cardume” reunido na loja Apuaú Pesca / Fotos: No Podio

Foi no feriado de 21 de abril de 2017 que uma turma de amigos se reúne para aventurar dias de pesca de caiaque. O grupo tem cerca de 160 membros entre homens e mulheres além de outros pescadores de várias regiões, outros Estados e até fora do país, com apenas um objetivo nas reuniões a troca de ideias e informações a respeito da pesca.

Segundo o organizador do grupo, Tony, a pesca esportiva trabalha com iscas artificiais e faz a defesa pelo pesque e solte. “Nosso troféu é fazer fotos e vídeos da soltura do Tucunaré. Antigamente o pescador ia para pescaria e trazia a caixa cheia de peixes e atualmente nossa região realiza o estilo pesque e solte, pois temos muitos municípios propícios para a realização da pesca”, disse o líder da equipe “No Cardume”.

Fotos: No Podio

Nas reuniões, a felicidade é demonstrada em cada membro do grupo que leva uma camiseta, um equipamento, um boné e até nas tatuagens, afinal a paixão pela pescaria que faz esses pescadores se encontrarem para conversar acaba virando uma comemoração.

Fotos: No Podio

O primeiro local que o grupo se instalou foi a loja de Luís, que também tem o tempo de existência do grupo “No Cardume”. “A partir do momento que a gente sentir que o mercado tem uma boa aceitação, nós iremos expandir. Aqui nós trabalhamos com pescaria esportiva, pescar e soltar, usar iscas artificiais e materiais leves, de qualidades, aprimorados. É uma pescaria que tem crescido muito não só aqui no Brasil, como também no mundo inteiro e não poderia ser diferente do Amazonas que é o local onde tem o peixe mais esportivo do mundo que é o tucunaré”, finalizou.

Luís e a esposa nas dependências da loja / Fotos: No Podio

Informações:

Apuaú Loja de Pesca

Av. Djalma Batista, 2010
Manaus Auto Shopping, loja 04
Manaus • Amazonas • Brasil

facebook.com/apuaupesca
Instagram: @apuaupesca
E-mail: apuaupesca@gmail.com
Tel/Whatsapp: 92 98117-8186

Manaus Barcelar Fight promoveu combates que levantaram o público presente

A noite de sábado, dia 24 de março de 2018, foi inesquecível para quem esteve presente no evento. O organizador do evento, Eliude Barcelar, realizou uma bela homenagem ao pai através de depoimentos de seus irmãos que foram repassados em um datashow diante todo público do Manaus Barcelar Fight. De cara a noite começa com o combate entre William x Cristiano Marques. Uma luta bastante movimentada pelos dois no início, mas logo em seguida cristiano leva para baixo e aplica um nocaute técnico em seu adversário.

Na Segunda luta da noite, ainda pelo GP 61Kgs, enfrentaram-se Juliano Arcanjo x Luan. A luta começou com uma trocação direta em os guerreiros e na primeira oportunidade de desequilíbrio, luan leva a luta para o chão. Sem muita movimentação no solo, o árbitro retorna a luta em pé. Luan desta vez impõe mais o ritmo no striking e acaba levando a luta para baixo novamente. Luan, montado sobre seu adversário,parte para arriscar uma chave de braço e é surpreendido pela saída do Atleta. Já no inicio do segundo round, luan aplica um chute direto e leva Juliano ao Chão. Luan domina todo o round entrando na guarda do adversário que opta por ficar ao solo recebendo socos e chutes. No terceiro round, os lutadores voltam com uma sequencia de striking que deixa a luta bastante movimentada. Porém, no meio do combate, luan entra com um clinch de thai e acerta uma Joelhada na altura da cintura que leva o adversário ao nocaute técnico.

Outro combate que chamou bastante atenção e considerada a melhor luta da noite, foi entre Zairo Garcia(Amazonas) x Herivelton(Pará).

A luta começa de forma frenética entre os dois lutadores que soltaram uma variedade de socos e chutes dentro da área de combate. Foram Minutos intensos que não deram nem mesmo para pensar em defesas de nenhum dos lados.
O primeiro Round começa com muita movimentação de ambos lutadores, soltando socos e chutes na mesma medida.

Após o segundo minuto de combate, Herivelton aplica uma sequencia contundente de socos sobre seu adversário. Em seguida, Zairo retorna com a mesma sequencia de socos e chutes e consegue um Knock Down sobre seu adversário que retorna em pé rapidamente. Mesmo assim, Herivelton fica encurralado na grade pela sequencia de socos e chutes deferidos por Zairo. Mas segundos depois o paraense reage e afasta seu adversário. Já nos finais do 1º Round, Zairo aplica mais uma sequencia de golpes contundentes sobre seu adversário. No terceiro round, ambos guerreiros trocam muitos chutes até a metade do round.

A partir meio da luta, Zairo e Herivelton trocam muitos socos e começam a impor mais o ritmo sobre o adversário. Zairo sente uma sequencia de socos do paraense que o levou a um Knock Down incrível imediatamente. Porém, o manauara suporta a pressão e repõe a guarda para estabilizar o jogo de chão. Sem muita movimentação abaixo, o árbitro volta a luta em pé.

O resultado desta luta foi empate unânime e também foi considerada a melhor luta da noite, pela organização do evento Manaus Barcelar Fight. Os lutadores estarão em combate novamente na próxima edição.

Com informações de Portal Zona do Esporte

Ícone do jiu-jitsu, Rodrigo Pinheiro comemora sucesso no exterior

Radicado nos Estados Unidos, onde possui duas academias e quatro associações, localizadas no Texas, no México e em Monterey, o amazonense Rodrigo Pinheiro, se tornou um dos maiores ícones do jiu-jitsu da atualidade. Casado com Heather Breves, e pai da Olivia e Victoria Breves, o empresário mora em San Antonio, no Texas, há 11 anos, onde através do jiu-jitsu, conquistou as maiores vitórias na vida pessoal e profissional.

“Minha rotina é bem pesada, pois tenho que administrar os negócios e dar o suporte necessário para que tudo caminhe bem. São cinco treinos de preparação física semanal e três treinos diários de jiu-jitsu. Também dou aulas particulares que começam às 6h da manhã e algumas vezes encerram 21h”, relatou.

Rodrigo começou a treinar na equipe Agenor Alves, localizada no Japiim, onde foi graduado da faixa branca a preta, pelo mestre Ulisses Paixão.

O pai do lutador, Edson Pinheiro, foi o maior incentivador do atleta. Conhecido, respeitado e admirado por todos os lutadores. Era ele quem estudava todas as jogadas dos adversários antes dos combates do filho. “Meu pai foi meu maior incentivador. Ele me apoiava e dava apoio aos outros que quisessem escutar as palavras de incentivo. Ele era observador e sabia o jogo de todos que lutariam contra mim”, explicou.

No Amazonas Rodrigo era um nome de peso nas competições locais. O ótimo condicionamento físico somado ao excelente nível técnico garantia ao atleta, o lugar mais alto do pódio. “Como lutador acho que a maior dificuldade sempre foi apoio, graças a Deus, batendo de porta em porta, um dia eu encontrei pessoas que se tornaram mais que patrocinadores, que foram exemplo de vida para mim, o Ivonildo e Adriana da Granada Beach. Até hoje tenho muito orgulho, respeito e gratidão, pois se cheguei até aqui devo muito a eles”, revelou.

Em busca de novas conquistas, o amazonense mudou-se para o Rio de Janeiro. Determinado e muito esforçado, o atleta se virava de diversas maneiras para se manter no esporte. Através de um patrocinador, Zé Luis (Senki Kimonos), o lutador conheceu “Marrinha” e surgiu a oportunidade de dar aulas de jiu-jitsu Em São Leopoldo.

Era uma rotina de treinos no Rio de Janeiro, seminários e aulas de jiu-jitsu em São Leopoldo e competições nos Estados Unidos. Para aumentar a renda financeira, o lutador que sempre teve um tino para os negócios, aproveitava as viagens ao exterior e trazia produtos importados para revender aos conhecidos.

“Em pouco tempo morando no RJ, eu já estava plantando minhas sementinhas. Viajava para os EUA, comprava produtos e vendia no RJ. Muitos artistas viraram meus clientes e isso era legal. Nunca tive medo de trabalho e sempre fiz o que deveria fazer para ganhar o meu dinheiro de forma honesta”, declarou.

Atraídos pelo mercado que se abriu em torno do jiu-jitsu, muitos brasileiros mudaram para os Estados Unidos no ano de 2005. Em busca de novas oportunidades o amazonense decidiu fazer o mesmo. Depois de visitar algumas cidades americanas, o lutador recebeu uma ligação do amigo, `Marrinha` para ajudar a dar aulas em uma academia no Texas. Rodrigo gostou tanto da cidade que já são 11 anos morando no mesmo lugar.

Segundo o empresário, embora o jiu-jitsu fosse um campo promissor nos Estados Unidos, ainda havia muitos questionamentos e as competições de jiu-jitsu era uma das alternativas para mostrar aos alunos a eficiência da arte suave.

E conquistar medalhas em competição sempre foi o ponto forte deste campeão, que possui entre os muitos títulos conquistados, o Penta Campeão Brasileiro, Tricampeão Pan-Americano, Tricampeão Mundial, Campeão Europeu, Bi-campão Nacional Americano entre outros.

“Sou muito abençoado por fazer o que amo há mais de 26 anos e agradeço muito as pessoas que sempre estiveram desde o início e estão até hoje comigo. Meus professores Ulisses Paixão que foi sempre uma figura marcante na minha vida e ao Faustino Neto (Pina). Quando mudei para o RJ tive o privilégio de treinar com o Saulo Ribeiro e o mestre Royler Gracie, que é a academia em que eu luto e levanto a bandeira até hoje”, relatou.

São quase três décadas conquistando títulos e fazendo campeões na RPBJJ. Rodrigo sempre participa de campeonatos e se destaca entre os melhores. No dia 9 de setembro, o líder da equipe, foi destaque no Fight To Win, ao vencer Diego Gamonal por decisão dos jurados, na luta principal do evento. Além da vitória de Rodrigo, quatro de seus alunos sagraram-se campeões do evento, incluindo o “menino de Gelo”, Cole Abate.

“Hoje a competição é diferente, é algo que gosto e onde me encontro como pessoa. Onde me desafio e me supero todas às vezes que me ponho a teste. Mesmo com a correria do dia-a-dia, não consigo ficar sem competir. Acho que o fator fundamental da competição é o conhecimento interno que você tem de si mesmo e aquilo lhe dá ferramentas para a guerra diária, que não é fácil”, explicou.

Por: Greici Fernandes

Fotos: Arquivo atleta

Peneira do Projeto “Atletas de Cristo” reúne cerca de 100 atletas em busca de um sonho

Cerca de 100 garotos entre 12 e 18 anos de idade participaram, na manhã deste sábado, dia 21, de uma peneira, organizada pelo Projeto Social Atletas de Cristo. A seletiva realizada no estádio Ismael Benigno (Colina), localizado na zona Oeste de Manaus, contou com a presença do empresário e ex-jogador de futebol profissional, Tinho. Os atletas participantes Carlos Lucas, 16, e Vitor Silva, 11, foram os jovens atletas pré-aprovados, durante a observação técnica do olheiro oficial, para fazer o teste em diferentes clubes do Rio de Janeiro.

Fotos: Portal No pódio

De acordo com ex-zagueiro, Tinho, o objetivo da Peneira é dar oportunidade para que os atletas sejam avaliados em outros clubes do país. “ Eu percorro vários Estados do Brasil, buscando talentos para fazer testes em clubes maiores, mantendo sempre aquele bastante cuidado e atenção no processo de escolha, pois estamos lidando com os sonhos dos garotos. Muito jovem tem esse desejo de seguir a carreira e a peneira é uma oportunidade para eles. Eu comecei no futebol com 13 anos e passei por quatro peneiras, mas não desisti do objetivo que eu tinha e consegui chegar ao futebol profissional”, explicou o esportista.

Fotos: Portal No pódio

A iniciativa do evento faz parte do Projeto Atletas de Cristo que atua há 15 anos em Manaus e no interior do Amazonas, atendendo crianças e adolescentes na faixa etária de sete a 18 anos. Segundo o coordenador do Atletas com Cristo, Lúcio Silva, o projeto social alcança a capital e o interior do Estado do Amazonas. “Nós temos 14 polos em cada município do interior do Amazonas e em dez bairros de diferentes regiões da cidade de Manaus, levando oportunidades aqueles jovens que sonham em ingressar na carreira futebolística. Quem perdeu essa oportunidade da peneira pode acompanhar as redes sociais do projeto que ainda esse ano, no mês de setembro, estaremos realizando fazer outra seletiva”, concluiu Lúcio.

Fotos: Portal No pódio

 

Por Greici Fernandes

 

Amor ao esporte e à natureza: conheça a ação ambiental que usa o ‘sup’ para limpar rios

22/03/2018 às 06:46 – Atualizado em 22/03/2018 às 12:13

O Stand Up Paddle ou simplesmente “sup” é um esporte de contato direto com a natureza, que consiste em remar, em pé ou sentado, em cima de um tipo de prancha. Mas, para vários remadores, o sup também pode servir para contribuir com o meio-ambiente, unindo o amor ao esporte ao amor pela natureza.  Apaixonado pelas águas do Rio Negro, o jornalista Agnaldo de Oliveira, da PontoComm Marketing, criou o Projeto Grito D’Água, que, com o apoio de voluntários e empresas, une o útil ao agradável, retirando toneladas de lixo do rio, duas vezes ao ano e, ao mesmo tempo, dando visibilidade às companhias parceiras. O próximo Grito d’Água – que vai para a sua sexta edição – acontece na primeira quinzena de junho.

“A PontoComm tem o verde como cor fundamental, um dos seus braços é o marketing ambiental, e o grito d’Água nasceu com esse coração, com esse sentimento forte. Nós ganhamos o apoio do Abaré, com o Diogo Vasconcelos, e fizemos o primeiro evento basicamente com atletas de sup, e esses atletas, grande parte deles, continua com a gente até hoje, e o evento cresceu bastante”, explica Agnaldo.

O Grito d’Água acontece desde 2015, duas vezes ao ano, durante a cheia e a vazante do rio (períodos em que o lixo mais acumula nas margens e poluem marinas e flutuantes), e, na sua última edição, em novembro do ano passado, reuniu mais de 50 voluntários, que recolheram mais de 20 toneladas de lixo num único dia. Na cheia, é recolhido o lixo da chamada mata de igapó e da copa das árvores, que ficam encobertas pela água, e na vazante, é retirado o lixo de ilhotas e faixas de areia, na região do Igarapé do Tarumã.

Ao falar da motivação para ter dado vida ao projeto, Agnaldo lembra que uniu seu conhecimento em marketing à sua vontade de preservar as riquezas da sua terra. “Eu sou um amazônida, sou manauara, então, eu quero preservar tudo aquilo que Deus nos deixou para os meus filhos. Tenho um menino de seis anos, que é o mascote do grito d´Água, o Pedro Luís;  tem o meu filho, Luís Guilherme, de 18, que é o fotógrafo, que também participa de todas as ações fazendo as fotos do evento”.

Fonte: A critica

Jéssica Santos Manaus (AM)

Alexandre Capitão abre a guarda e conta toda a trajetória de sucesso

Contratado pelo WSOF, o amazonense Alexandre “Capitão”, 29, se tornou um dos lutadores mais conceituados pelo evento. Nascido em Manaus, cidade considerada o celeiro de campeões, Alexandre assim como muitos jovens brasileiros, cresceu com o sonho de melhorar sua vida através dos esportes.

Casado com Thais Marcelle e pai da Manuella, o amazonense aguarda a chegada da segunda filha Nicole, que nascerá em outubro. O amazonense vive em Las Vegas, onde treina e dá aulas de jiu-jitsu na academia SYNDICATEMMA.

“Capitão” pertence a leva de campeões pioneira no jiu-jitsu amazonense. Começou a treinar na academia Agenor Alves aos oito anos de idade, através do primo Marcos Paulo. Das mãos do mestre Ulisses Paixão, o manauara recebeu todas as faixas, até chegar a tão sonhada faixa preta.

“Recebi a faixa preta no Campeonato Mundial da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo (CBJJE), autorizado pelo sensei Henrique Machado e depois oficializada na graduação na Asle. A academia Agenor Alves fechou em 2007 e eu passei a treinar com sensei Henrique, na Asle. Hoje eu represento o Clube Pina, pois ele já tinha sido meu professor na academia Agenor Alves. Sempre fui e sempre serei Agenor Alves. O meu mestre Ulisses Paixão sempre me acompanhou em todas as minhas conquistas”, relatou.

Para se manter no esporte, o manauara contou e ainda conta com o apoio do empresário Beto Nicolau, proprietário do Hospital Samel. “Eu não tenho palavras para descrever o que ele significa na minha carreira. Ele sempre me apoiou e apoia até hoje. Agradeço a Deus por tê-lo colocado em minha vida”, explicou.

Os números de medalhas e títulos conquistados pelo lutador enchem de orgulho. No MMA, o cartel de vitórias inclui: Campeão peso pena do WSOF, campeão peso pena do Jungle fight, campeão peso pena Mr. Cage, campeão peso pena do Golden Combate, campeão peso pena do GP Boa Vista Combate.

“O jiu-jítsu é minha vida, se não fosse por esse esporte, eu não teria conquistado nada que já conquistei e ainda vou conquistar. Como atleta eu ganhei todos os títulos que um lutador de jiu-jítsu e MMA poderia ter conquistado. Eu sou muito feliz com tudo que já conquistei tanto no jiu-jítsu quanto no MMA”, declarou.

Em 2014 o atleta foi um dos lutadores que foi a Las Vegas para fazer parte do elenco da quarta temporada do The Ultimate Fighter Brasil – Em Busca de Campeões. Alexandre acabou ficando de fora devido uma suspeita de aneurisma cerebral, o que posteriormente acabou sendo descartado após segunda avaliação.

Após superar o drama do corte e receber a liberação da equipe medica para competir, Capitão estreou com vitória no WSOF, finalizando Saul Almeida no primeiro round, se tornando o dono do título do terceiro maior evento de MMA do mundo.

Em meio a tantas conquistas na vida pessoal e profissional, o lutador que possui um cartel de 18 vitórias e sete derrotas, revela o sonho de chegar ao maior evento de MMA da atualidade.  “Esse é um titulo que quero conquistar, não vou descansar enquanto não chegar ao UFC”, revelou.

Por: Greici Fernandes

Fotos: Arquivo Pessoal do atleta