Notícias

Jogos da quinta rodada da série B agitam a Arena da Amazônia nesta quarta-feira (17/10)

Dando prosseguimento ao Campeonato Amazonense de Futebol – Série B, é a vez de mais quatro equipes se enfrentarem, em partidas válidas pela quinta rodada da competição. No primeiro duelo desta quarta-feira (17/10), às 18h, se enfrentam as equipes do Iranduba e Tarumã, seguidas dos times Cliper e Holanda, que duelam às 20h. Os jogos serão realizados na Arena da Amazônia, localizada na Avenida Constantino Nery, bairro Flores, zona Centro-Sul de Manaus.

De acordo com o técnico Fernando Lage, mesmo enfrentando dificuldades, o Tarumã se prepara para o confronto contra o Iranduba, nessa etapa decisiva. “Nessa reta final as dificuldades começam a aparecer, mas entre esses percalços estamos conseguindo nos preparar e as expectativas são as melhores, Para nós é um “tudo ou nada”, como se fosse uma final, porque ou ganhamos e passamos, ou não conseguiremos conquistar nossos objetivos. Estamos concentrados para fazer um bom jogo, o futebol é uma caixa de surpresa, mas estamos confiantes”, afirma.

Enquanto isso o técnico do Iranduba, Igor Cearense, diz que sua equipe está no caminho certo. “É uma competição acirrada e acredito que estamos fazendo uma boa trajetória. Temos uma proposta de jogo, nossos jogadores são bastante unidos, respeitamos muito a equipe do Tarumã, inclusive conheço vários atletas do time deles. Não vai ser um jogo fácil, mas tenho certeza que iremos com tudo para buscar esse acesso, respeitando o adversário, imprimindo um ritmo forte de jogo e fazendo valer todo o esforço e trabalho realizado até aqui”, destacou.

Quarta rodada – Na última partida, o Tarumã venceu o Holanda por 2 a 0, enquanto o Iranduba bateu o Sul América por 1 a 0.

Classificação – Assumindo a primeira posição está a equipe do Sul América, com nove pontos. Em seguida, o Iranduba, com sete e, colado ao Hulk, o Tarumã, com seis pontos. Holanda ocupa a quarta posição, com um ponto na competição e, na lanterna, o Cliper, sem nenhuma pontuação.

Fotos: Mauro Neto

Tarumã e Sul América são os vencedores da segunda rodada do Amazonense Série B

Os clubes Tarumã e Sul América foram os vencedores na noite desta quarta-feira (03/10), na segunda rodada do Campeonato Amazonense de Futebol Profissional – Série B, realizada no estádio Ismael Benigno (Colina), no bairro São Raimundo, zona sul de Manaus. Na primeira partida, o Sul América venceu o Holanda por 1 a 0 e está seguro na liderança da competição. Já no segundo jogo, o estreante Esporte Clube Tarumã complicou a situação do Clipper, ao vencê-lo por 4 a 2.

O gol do Sul América veio ainda no primeiro tempo. Na cobrança de escanteio, o zagueiro Antony, camisa 3, subiu sozinho e cabeceou certeiro no gol do Holanda, fazendo o único gol da partida que manteve o Sulão na liderança. Autor do gol, Antony disse que a equipe está focada no acesso. “Nós temos treinado bastante lances com bola parada. Graças a Deus fui feliz na finalização e consegui converter para a minha equipe. Vamos continuar seguindo em frente e fazer as coisas mais importantes, que é poder ajudar o time, somar os três pontos e buscar nosso objetivo, que é o acesso à Série A”, disse.

Quem ficou feliz com a atuação da equipe foi o técnico Marcelo Galvão, que já lançou a tag “#SegueOLider” para a comemoração da invencibilidade e liderança do Sul América. “Estou satisfeito com o time hoje. A defesa estava bem, dando mais segurança ao goleiro e o time cresceu bastante no jogo. Poderíamos ter feito mais gols, porém, estamos felizes. Nem nós esperávamos fazer seis pontos e isso nos deixa em um lugar confortável na tabela. Agora é #SegueOLider”, disse o técnico, aos risos.

O segundo jogo começou com grandes expectativas, afinal o Cliper precisava vencer a partida contra o Tarumã, que estreava na competição. Sabendo da necessidade do time, o Cliper foi para cima do adversário e abriu o placar após jogada de Nedson, camisa 8, pela esquerda, que chegou na pequena área, bateu e não deu chance para o goleiro do Lobo do Norte, Milton, defender. Em seguida, de cabeça, Airton Campos deixou tudo igual na Colina. Nos acréscimos do primeiro tempo, Anibal cometeu falta em cima de Dionathan e o árbitro marcou pênalti. O próprio Anibal pegou a bola, efetuou a cobrança e fechou o placar em 2×1 no primeira etapa.

No segundo tempo, o técnico do Tarumã fez algumas alterações e a equipe voltou marcando mais e avançando, com muito toque de bola. O Cliper acabou perdendo um jogador, Ray, que já tinha um cartão amarelo e, após reclamar da arbitragem, levou novamente um cartão, sendo expulso da partida e complicando ainda mais a situação da equipe. Com um a mais e jogando ofensivamente, o Tarumã correu atrás do prejuízo e, de falta, Rafael Simi, camisa 10, igualou a partida novamente. Simi ainda deu assistência para Hugo, camisa 7, que bateu forte e virou o jogo. Alguns minutos depois, quando o Clipper achava que ia empatar, o Lobo do Norte fez mais um e fechou o paneiro em 4 a 2. Com esse resultado, o Tarumã fica na segunda colocação do campeonato.

Para o técnico José Fernando Lage, a equipe foi superior na partida e está na briga para chegar à Série A. “O time entrou um pouco ansioso, por isso tivemos algumas falhas no começo da partida, inclusive com bolas paradas, que é um ponto que devemos trabalhar mais. Mas, no geral, sempre fomos superiores. No segundo tempo foi decisivo. Viemos com mais vontade, a ansiedade já tinha sumido e os jogadores se sentiram melhor. Mexemos na parte tática e a equipe foi para a frente. Estou contente com o que time apresentou, foi muito ofensivo, circulamos a bola, temos um ataque bastante rápido e viemos para brigar pelo acesso”, finalizou.

 

FOTOS: Mauro Neto

Beach Wrestling movimenta fim de tarde na Ponta Negra

A praia da Ponta Negra, localizado na zona centro-oeste de Manaus, recebeu no último sábado (29/09), a 1ª edição do Campeonato Amazonense de Beach Wrestling, realizado pela Federação Amazonense de Luta Livre Esportiva e Olímpica (Falle). A competição teve a participação de atletas de diversas modalidades, como, por exemplo, o ex- participante do UFC, Dileno Lopes, além de lutadores do Centro de Treinamento de Alto Rendimento do Amazonas (CTARA).

Feliz com o convite, Dileno ressaltou a importância que o Estado tem nas artes marciais mistas e que esta modalidade é mais uma para agregar no currículo dos atletas. “O Amazonas sempre desponta nas artes marciais e eu estou muito feliz com o convite da organização de participar deste evento, que traz o wrestling adaptado para a areia. Para mim, além de um momento de aprendizado, é um lugar para rever amigos, pessoas da minha equipe, então, é uma satisfação imensa poder estar aqui hoje”, comentou.

O evento chamou tanto a atenção, que muitas das pessoas que passeavam pelo calçadão da praia paravam, sentavam na arquibancada da arena e prestigiavam os duelos. A empresária Maria Tereza, 54, foi dessas pessoas que parou e gostou da competição. “Eu estava caminhando, vi muita gente ao redor e parei para ver. Aqui acontecem várias competições, mas essa é diferente. Achei interessante. Os atletas são bastante fortes e é uma luta que, ao meu ver, necessita de muita força. Gostei! ” disse ela.

O 1º Amazonense de Beach Wrestling teve a participação de mais de 50 atletas, oriundos não somente do wrestling, mas de várias modalidades. De acordo com Waldeci Silva, que é presidente da Falle, a luta de praia já ocorreu em Manaus outras vezes, mas um campeonato estadual, não. O objetivo é selecionar atletas para a criação de uma seleção amazonense da modalidade e alcançar vitória representando o Estado.

“Nós já tivemos algumas competições aqui, chamava-se Rei da Praia, mas este campeonato amazonense está trazendo pessoas de vários municípios e, com isso, temos o objetivo de formar uma seleção para no ano que vem, começarmos a disputar competições nacionais e galgar caminhos internacionais, pelo menos o intuito é esse e vamos trabalhar para realizar esse sonho. O Beach Wrestling é uma modalidade que vem conquistando muitos atletas vindos de judô, luta esportiva, jiu-jítsu, submission e tantos outros, tenho certeza que vamos fazer uma ótima seleção e representar bem o Amazonas”, finalizou Waldeci.

FOTOS: MAURO NETO

Ponta Negra recebe 1º Campeonato Amazonense de Beach Wrestling

A Federação Amazonense de Luta Livre Esportiva e Olímpica (Falle) realiza neste sábado (29/09), o 1º Campeonato Amazonense de Beach Wrestling, modalidade esta conhecida como ‘luta de praia’. O evento tem início a partir das 16h e terá como palco a praia da Ponta Negra, localizada no bairro Ponta Negra, zona oeste de Manaus.

A competição vai reunir, além da capital, atletas de municípios do Interior do Estado. Ao todo serão cinco categorias de peso no naipe masculino, dentre elas até 60kg, até 70kg, até 80kg, até 90kg e acima de 90kg. Já no naipe feminino, as categorias serão até 50kg, até 60kg, até 70kg e acima de 70 kg. A pesagem acontece nesta sexta-feira (28/09), das 17h às 18h30, na quadra Armando Jimenes, localizada nas dependências da Vila Olímpica, bairro Dom Pedro, zona centro-oeste.

De acordo com o presidente da Falle, Waldeci Silva, o Amazonas é um celeiro de campeões e lutadores de alto nível, de modo que eventos como este servem para captar novos talentos. “Esse será o primeiro de muitos, onde poderemos conhecer o primeiro campeão amazonense de Beach Wrestling, uma modalidade que em breve, creio eu, será olímpica. Neste contexto, começaremos a selecionar atletas para compor o time que irá selecionar o nosso Estado em futuras competições. O Amazonas sempre desponta no requisito lutas e tenho certeza que com a praia não será diferente”, disse.

Waldeci enfatiza que o campeonato será uma boa opção aos frequentadores da praia e também uma forma de fazer com que o público em geral conheça um pouco mais do esporte. “O beach wrestling é uma luta de praia, uma nova modalidade que vem crescendo pelo mundo afora e o Amazonas, como um berço de lutas e artes marciais, não poderia ficar de fora. Convido a todos que estiverem por lá, que prestigiem e conheçam mais sobre esse esporte. Garanto que será bastante proveitoso”, afirmou.

Premiação – Tanto no naipe masculino quanto no feminino, o primeiro, segundo e terceiro lugar de cada categoria receberão medalhas e premiação em dinheiro.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Para mais informações: Presidente da Falle, Waldeci Silva – 99313-6614

Com chuva de gols na Colina, 3B e Iranduba estreiam com o pé direito no Amazonense Feminino – Série B

Foi dada a largada para o Campeonato Amazonense de Futebol Feminino 2018 – Série B e as equipes do 3B e Iranduba deram show na noite desta quinta-feira (04/10), após derrotar as adversárias com goleadas de 8 a 0 e 5 a 0, respectivamente, na rodada de estreia da competição. O evento foi realizado no estádio Ismael Benigno (Colina), localizado no bairro São Raimundo, zona Oeste de Manaus.

A primeira partida foi entre equipes do 3B e CDC – Manicoré. Ao longo de todo o jogo, foi visível a disparidade entre os dois times. Mesmo com realidades distintas, o 3B não contou conversa e deu início ao massacre. Aos 11, 21 e 24 minutos do primeiro tempo, Crivelari converteu para o 3B. Já na segunda etapa, Tânia Maranhão fez um belo gol de falta, seguido de Paola, que aumentou a vantagem das Feras. Crivelari, em noite inspirada, aumentou seu saldo e, para finalizar, Marcela Hulk e Leila deixaram as suas marcas, dando números finais à partida em 8 a 0.

Em um jogo diferente, o atual campeão estadual, Iranduba, enfrentou na primeira rodada o Atlético – AM. Com apenas oito atletas, contra 11 do Verdão, o Atlético – AM estreou na competição de forma bastante atípica. Mesmo com bastante esforço, o Iranduba mostrou a que veio e, logo aos 47 segundos de jogo, Elisa abriu o placar. Em seguida a capitã, Djeni, de pênalti, aumentou a vantagem. Aos 11 minutos, ela converte novamente. Kelen, aos 23 minutos, deixa a sua marca e Djeni faz mais um, para se tornar a maior artilheira do clube com um total de 28 gols com a camisa do Iranduba – a capitã estava empatada na artilharia do clube com a ex-jogadora Luciana, que somava 25 gols.

Aos 35 minutos, a goleira do Atlético Amazonense deixa a partida ao colidir com a atacante Giovânia em uma tentativa de defesa de gol. Cinco minutos depois, mais uma desistência, tendo em vista que a atleta machucada não tinha condições de voltar ao jogo. Dessa forma, o árbitro Ivan Guimarães Junior encerrou a partida aos 46 minutos do primeiro tempo, após definição do Departamento Médico.

Para o técnico do Iranduba, Igor Cearense, a situação foi lamentável. “A gente fica triste, porque você prepara a sua equipe por dez, quinze dias trabalhando com muita bola parada, muito trabalho tático e daí a gente vem com uma forma de jogar intensa, com uma programação feita, infelizmente aconteceu essa situação. Temos o respeito pelas adversárias também, tenho atletas que foram minhas no Penarol, ficamos triste com a situação, mas nada vai mudar o nosso foco, nossa forma de jogar”.

Tabela – Com esses resultados, o 3B se mantém na liderança da competição com três pontos, seguido do Iranduba, que também tem três pontos, mas tem menos gols no saldo. O Atlético -AM assume a terceira posição e o CDC Manicoré segue na lanterna.

Próximos jogos – Na segunda rodada, é a vez do CDC Manicoré enfrentar o Iranduba, às 14h30, enquanto o 3B duela com o Atlético – AM às 16h30. As partidas serão realizadas na próxima quarta-feira (10/10), em local a ser definido.

 

Fotos: Mauro Neto

Campeão na primeira edição, Alessandro Guimarães mira vitória no Jungle Classic Jiu-jitsu – ‘O despertar dos grandes guerreiros’

Após conquistar a vitória, por decisão dividida dos árbitros, contra Marcos Valle na primeira edição do Jungle Classic Jiu-jitsu, realizado em junho deste ano, o faixa preta 5º grau de jiu-jitsu, Alessandro Guimarães, retorna à segunda edição para enfrentar Rogério Bessa, em duelo marcado para o dia 23 de novembro, às 20h, no Jevian Festas e Eventos, localizado na Rua Rio Javari, n° 788, bairro Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul de Manaus.

Sobre a vitória na primeira edição, Guimarães é direto. “Treinei muito e o resultado já estava na minha mente. Não conseguiria imaginar uma derrota. Essa conquista foi um dos momentos mais importantes da minha trajetória na luta, pois minhas filhas estavam no meu corner e isso foi emocionante. O carinho que recebi do público e ver que 90% das pessoas que estavam ali, torceram por mim, foi incrível”, declarou.

Essa será a primeira vez que Alessandro enfrentará Rogério Bessa e o lutador explica a rotina de treinos. “O meu treinamento não é nada excepcional. Uso muito a yoga, trabalho condicionamento e o jiu-jítsu. Busco treinar com atletas de todos os pesos, principalmente com essa galera nova, cheia de ideias e movimentos criativos”, revelou.

Colecionador de títulos no jiu-jitsu e no MMA, Guimarães revela que a luta faz parte da sua vida diária. “Jiu-jitsu é tudo! Faz parte da minha vida 24 horas, eu acordo e durmo com o jiu-jitsu, sempre foi assim. Sou campeão em todas as faixas, participo de competições desde criança e sou invicto no vale-tudo, modalidade onde acredito que seja mostrado o verdadeiro conhecimento da arte marcial. Este ano ganhei o cinturão do maior e melhor evento do Brasil”, explicou.

Praticante da arte suave desde criança, o lutador aprendeu os primeiros golpes com o tio-avô, Ajuricaba Alencar, e só aos 12 anos, passou a fazer parte da equipe Barraco, liderada pelo professor Paulo Ameba, posteriormente migrando para a HBJ, liderada pelo mestre Humberto Barbosa.

Buscando aprimorar o nível técnico, Alessandro decidiu treinar com Carlson Gracie, no Rio de Janeiro, e quando retornou a Manaus, passou a integrar o time liderado por Luís Carlos Valois. “Me identifiquei muito com a equipe Carlson Gracie. Perguntei se tinha alguém em Manaus desse grupo e logo me indicaram o Valois. Na capital carioca, atualmente meus treinamentos são com mestre De La Riva. Eu também sou muito bem recebido pelo amigo Cássio Cardoso. Minha vida sempre foi assim, idas e vindas entre Rio de Janeiro e Manaus, sempre com a equipe Carlson Gracie”, relatou.

Ingressos e informações: (92) 988234840.

Confira o Card

1- MARCOS VIANA (ALBERTO DOS SANTOS) VS LUÍS ROCHA (HBJ)

2- FABIO PINHEIRO (PINA) VS ARY LOBO (CARLSON GRACIE)

3- ALCENOR ALVES (WHITE HOUSE) VS LUÍS CORDEIRO (PINA)

4- BRUNO CUNHA (CARLSON GRACIE / MANFIGHT) VS JÚNIOR GUSMÃO (PINA)

5- HEBERSON BELCHIOR (BUDDHA JIU JITSU) VS VICTOR HUGO (EQUIPE 7 / MASCARENHAS)

6- EMERSON BENCHIMOL (ALL BROTHERS AMAZON JJ / MANFIGHT) VS DAWGLISH SOUZA (PINA)

7- FERNANDO SOARES  (ORLEY LOBATO) ABRAHAM LITAIFF (EQUIPE 7/ MASCARENHAS)

8- ÂNGELO CARIOCA (CARIOCA TEAM) VS JOSAFÁ JÚNIOR (TEAM CARDOSO)

9- DEIVE FONSECA (MPBJJ / NOVA UNIÃO) VS JÂNIO RODRIGUES (ORLEY LOBATO)

10- HENRIQUE RAMOS (EQUIPE 7 / MASCARENHAS) VS MARCOS PAULO (PINA)

11- ANDERSON BENCHIMOL (ALL BROTHERS AMAZON JJ / MANFIGHT) x ARLISON MELO (KIMURA)

12- MARCOS PACHECO (EQUIPE 7 / MANFIGHT) x TONU FERREIRA (WHITE HOUSE)

13- ALESSANDRO GUIMARÃES (VALOIS JIU JITSU) x ROGÉRIO BESSA (MONTEIRO)

 

Em rodada dupla no Zamith, Sul América goleia o Cliper, enquanto Iranduba e Holanda ficam no empate

O Campeonato Amazonense de Futebol – Série B começou agitado. Com rodada dupla, o Sul América venceu o Cliper por 4 a 1 no jogo de abertura, seguido pelo empate em 2 a 2 entre as equipes de Iranduba e Holanda. As partidas aconteceram na tarde de sábado (30/09), no estádio Carlos Zamith, localizado no bairro Coroado, zona leste de Manaus.

Com a partida vitoriosa da rodada, o Sul-América deu um show de gols e não economizou na estreia profissional do técnico Marcelo Galvão. Só o experiente atacante, camisa 9, Marinho fez dois, um em cada tempo da partida. Em ordem crescente, Werley também deixou o seu na conta. Para diminuir o saldo negativo, o Cliper foi para cima, tentou, e o camisa 9, Brocador, fez um para honrar a equipe. Tocando mais bola e com um maior número de chutes ao gol, o Sul América foi avançando. Na ponta esquerda, o camisa 11, Vitinho, tocou para Rogério Pedra, que abriu no meio e sacramentou o placar da partida em 4 a 1.

Feliz com a vitória em sua estreia como treinador profissional, Marcelo Galvão lembrou que a equipe precisa melhorar, afinal é uma competição de tiro curto e não se pode haver margem para erros. “Estou feliz, até porque fizemos esse placar largo, seguramos a pressão do primeiro tempo, mas precisamos melhorar nossa defesa e criar mais oportunidades de ataque. Vamos acertar alguns pontos e tentar jogar melhor na próxima partida contra o Holanda. Não há tempo a perder”, afirmou.

Autor de dois gols na partida, Marinho abre a artilharia da competição e está satisfeito em poder somar com a equipe com o seu futebol e sua experiência. “O mais importante para mim é eu poder dar a minha contribuição para que a equipe alcance resultados positivos e chegue no seu objetivo, que é subir para a primeira divisão. A equipe é nova e tem muito preparo e, quando há essa determinação, o resultado é esse, um bom jogo e  placar favorável. Fico feliz de poder estar com eles e compartilhar minhas experiências dentro de campo”, destacou.

Iranduba e Holanda – Na segunda partida da tarde, a sede de vencer começou sendo saciada pelo Holanda que abriu o placar com William, camisa 9. Mas o Iranduba estava querendo o resultado positivo também e logo empatou, após um gol de Charles Chenko, aos 22 minutos do segundo tempo. Quase ao fim da partida, aos 41 minutos, o árbitro marcou pênalti para o Holanda, que foi convertido por William Carioca. Aos 44, novo pênalti, dessa vez em favor do Iranduba, após Hamilton ser empurrado. Railson bateu e deixou tudo igual, para dar números finais à partida.

Segunda rodada – Dando continuidade ao campeonato, mais uma rodada dupla. Dessa vez, o Sul América enfrenta o Holanda, seguido do duelo entre as equipes do Cliper e Tarumã. Os jogos acontecem na próxima quarta-feira (03/10), a partir das 18, no estádio Ismael Benigno (Colina), no bairro São Raimundo, zona Sul de Manaus.

FOTOS: MAURO NETO

Grand Slam de Jiu-Jitsu Esportivo marcado para novembro

Encerrando o calendário anual de competições, a Federação Amazonense de Jiu-Jitsu Esportivo (FAJJE), está com inscrições abertas para o Grand Slam Jiu-Jitsu Esportivo. O evento acontecerá no dia 24 de novembro, a partir das 9h, no Ginásio Ninimberg Guerra, localizado no bairro São Jorge, Zona Oeste de Manaus.

De acordo com o presidente da federação, Luis Neto, o diferencial desta competição, é que os atletas não precisam apresentar apenas a carteira da FAJJE, a inscrição é aberta para lutadores filiados a qualquer federação ou confederação de jiu-jitsu. “Para o atleta participar do Grand Slam, ele não precisa estar federado apenas a FAJJE, os atletas podem apresentar carteira de filiação de qualquer outra federação estadual, nacional ou internacional”, explicou.

A competição contará com todas as categorias, do Pré-Mirim ao Sênior, da faixa branca à faixa preta, no masculino e feminino. A disputa vale pontos no ranking da FAJJE, além de premiar em dinheiro as equipes campeãs e os campeões Absolutos.

As inscrições no valor de R$ 50 para um evento e R$ 80 para os dois eventos (GI e NoGi, podem ser feitas na sede da federação. Mais informações sobre o evento através dos telefones (92) 99117-5444/3088-7710 ou no endereço eletrônico www.fajje.com.br

Vila Olímpica recebeu a 10ª edição da Copa Cidade Manaus de Tênis de Mesa neste fim de semana

Reunindo aproximadamente 50 atletas em várias categorias, foi realizada na sexta-feira (28/09) e no final de semana (29 e 30/09) a 10ª edição da Copa Cidade de Manaus de Tênis de Mesa na Vila Olímpica de Manaus, localizada no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste da capital.

De acordo com o presidente da Federação de Tênis de Mesa do Amazonas (FTMA), Israel Barreto, esta competição é bastante tradicional e sempre revela ótimos atletas. Na sexta-feira (28/09), primeiro dia de competições, as disputas para a categoria Iniciantes A e B surpreendeu com o número de participantes e serviu para verificar que o esporte deve ser cada vez mais incentivado.

“A modalidade do tênis de mesa tem crescido bastante e a Copa Cidade de Manaus sempre foi uma competição que revelou grandes talentos. No novo formato proposto pela Confederação, atletas federados não podem disputar com aqueles que não possuem registro na federação específica. Sendo assim, a intenção é fazer incentivar a prática da modalidade entre os participantes e, com o interesse, federar esses novos atletas. Dessa forma, o esporte desponta e adquire novos adeptos. No primeiro dia de competição tivemos muitos inscritos e, com certeza, colheremos bons frutos deste trabalho”, destacou Israel.

Praticante de tênis de mesa há oito anos, André Guilherme Murchie, de 16 anos, foi o grande campeão da categoria Absoluto, que contou com 12 atletas inscritos. “Esse ano a competição foi muito bem organizada e com a melhor infraestrutura de todas. A Vila agora tem um lugar climatizado e com material de primeira linha, e isso contribui bastante para melhorar o nosso desempenho na competição. Os 12 inscritos no Absoluto eram os melhores tecnicamente. Todos os jogos apresentaram alto nível e foram bastante difíceis, mas consegui vencer e alcançar a primeira posição. Estou muito satisfeito com essa conquista”, disse.

Premiação – Os atletas que alcançaram os três primeiros lugares de cada categoria foram premiados com medalhas. Além disso, os campeões de cada categoria também foram contemplados com um troféu da competição.

Resultado

 Mirim

1 – Murillo Lopes – Associação Manaus

2 – Milton Brelaz – Associação Manaus

3 – Vítor Negreiros – Associação Manaus

3 – Rafael Sabba – Associação Manaus

Infantil

1 – Milton Brelaz – Associação Manaus

2 – Vítor Negreiros – Associação Manaus

3 – Suzy Melo – Associação Lassalista

3 – Álvaro Brandão – Associação Manaus

Juvenil

1 – Felipe Ikeda – Associação Manaus

2 – Adriel Farias -Associação Manaus

3 – Álvaro Brandão – Associação Manaus

3 – Wanderson Pacheco – Associação manacapuruense

Juventude

1 – Carlos Souza – Associação Manaus

2 – Adriel Farias – Associação Manaus

3 – Jade Ferreira – Associação Manaus

3 – Raquel Monteiro – Associação Manaus

Sênior

1 – Daniel Farias – Associação Lassalista

2 – Sandro Gomes – Adalberto Valle

3 – Hector Pereira – Associação Lassalista

3 – Ivan Guimarães – Associação Lassalista

Veterano

1 – Ivan Guimarães – Associação Lassalista

2 – Daniel Farias – Associação Lassalista

3 – Jeremias Vieira – Apcef

3 – Jackes Coelho – Associação Manaus

Absoluto masculino

1 – André Murchie – Associação Manaus

2 – Dhory Figueiredo – Dojo Nic

3 – Carlos Souza – Associação Manaus

Absoluto feminino

1 – Isabelle Guimarães – Associação Lassalista

2 – Raquel Monteiro – Associação Manaus

3 – Jade Ferreira – Associação Manaus

Duplas

1 – Daniel/Rodrigo

2 – Felipe/Mateus

3 – Carlos/Raquel

3 – Milton/Murillo

FOTOS: MAURO NETO

Auditório da Vila Olímpica recebe palestra sobre a importância da respiração coordenada na prática esportiva

Buscando promover conhecimento no meio esportivo, o Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia (CTARA) realizou nesta sexta-feira (28/09), às 18h, a palestra “A importância da Respiração Coordenada na Prática de Esporte”. O evento aconteceu no auditório da Vila Olímpica de Manaus, localizado na Avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste, e foi ministrado pela fonoaudióloga Marcela Lima.

O coordenador do CTARA, Carlos Júnior, destacou a importância do tema para o meio esportivo e afirmou que debates como este influenciam positivamente a vida de todos os que buscam conhecimento. “É comum ouvirmos profissionais do meio esportivo usando termos como “melhora a tua respiração” ou “controla a respiração”, mas muitos atletas não sabem como fazê-lo, então resolvemos mostrar meios para que a forma correta de respiração fosse aprendida e colocada em prática. A palestra de hoje se deve ainda, à preocupação com o desempenho dos atletas em suas modalidades e com o desenvolvimento do esporte no Amazonas”, disse.

Para a fonoaudióloga Marcela Lima, o processo respiratório é muito importante e merece ter uma atenção especial. É preciso entender o que é a respiração, como funciona, quais os músculos que estão envolvidos neste processo e qual a importância dessa ação no meio esportivo.

“A partir do momento em que aprendemos como a respiração funciona, passamos a praticá-la de forma correta e a ter um melhor desempenho no decorrer de nossas atividades. É de suma importância, principalmente para os profissionais que trabalham com o esporte, sejam eles da área médica ou especifica (esportiva), que busquem conhecer seu corpo e sua respiração, para que possam repassar os conhecimentos para os seus alunos/atletas da maneira certa e conseguir resultados positivos diante disso”, afirmou.

Com a participação de aproximadamente 70 pessoas, dentre elas professores, curiosos, colaboradores, acadêmicos e atletas das mais diversas modalidades como judô, futsal, atletismo, ginástica e boxe, o evento dividiu-se em duas partes, sendo uma teórica e a outra, prática. Vários exercícios para verificação dos diferentes tipos de respiração foram feitos, o que contribui grandemente para o aprendizado do conteúdo repassado.

Acessibilidade – Contribuindo para a melhoria do entendimento e o respeito à diversidade linguística do público presente, a palestra contou com uma tradutora da Língua Brasileira de Sinais (Libra). Tal ação permitiu o acesso desse público específico ao conteúdo abordado na palestra, assim como auxiliou na prática dos exercícios propostos pela palestrante.

Aprendizagem – Para o professor e faixa preta de judô, Davi Azevedo, a capacitação oferecida pela Sejel por meio de palestras como esta, é fundamental para melhorar o desempenho do educador e do aluno. “Apesar de já termos algum conhecimento em nossa área, nunca é demais aprendermos sobre aquilo que está envolvido em nosso meio. Vi nesta palestra vários atletas do CTARA e isso é um fator motivador para que eles próprios possam se tornarem cada vez melhores. Da mesma forma nós, professores, também ficamos contentes por poder aprimorar nosso conhecimento e poder utilizá-lo de forma correto para com nossos alunos”, afirmou.

Alto rendimento – Para o lançador de dardo de alto rendimento, Temístocles Paraíso, de 16 anos, aprender a forma correta de respirar é fundamental para seu esporte. Além disso, tanto ele como seu professor estavam presentes na palestra e, para o atleta, este momento será de aprendizagem e evolução para ambos.

“Algumas tem dificuldade para respirar da maneira correta ou mesmo possuem doenças respiratórias como asma, mas se soubermos como trabalhar de forma coordenada a nossa respiração, poderemos ter um aproveitamento muito maior em nossa esporte. Em provas como as que eu compito, preciso utilizar bastante minha “explosão”, e isso depende muito da respiração. Sendo assim, se eu aprender a maneira correta para respirar, poderei melhorar meu desempenho e, consequentemente, meu resultado”, explicou o atleta, que neste ano, foi medalhista de ouro em sua modalidade, no Troféu Norte e Nordeste.