Amazonenses brilham no Abu Dhabi Grand Slam Los Angeles

Comprovando que o Amazonas é um verdadeiro celeiro de campeões, o time de caboclos que participaram do Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu World Tour, neste sábado (23), no West Hall do Los Angeles Convention Center, brilharam na competição internacional.

Os atletas André Júlio, Robert Pato, Gabriel Moraes, Alex Martins, Thiago Macedo e Thalisson Soares conseguiram subir no lugar mais alto do pódio.

Na categoria até 69 quilos, Thiago Macedo (Rodrigo Pinheiro BJJ) venceu Alexandre Vieira (BTT) por 4 a 0, Victor Otoniel (Cicero Costha) por 6 a 4 e na final, derrotou o americano Brian Mahecha (ATT) por 2 a 0.

Exibindo muita técnica, André Júlio venceu três lutas por finalizações e a final por vantagem, conquistando medalha de ouro na categoria faixa preta máster até 85 quilos.

Na categoria faixa roxa adulto até 56 quilos, Thalison Soares (Cícero Costha e Unity Jiu-Jitsu) conquistou medalha de ouro, após vencer três combates.

Pesando 85 quilos, Fabio Trindade entrou na disputa na categoria preta máster até 110 quilos e faturou medalha de prata.

Por: Greici Fernandes

Fotos: Divulgação

Fabio Trindade encara Evan Gideon no Texas Submission Hunter 7

O amazonense Fabio Trindade embarca dia 10 para o Estados Unidos, onde disputará no dia 27 de janeiro o Texas Submission Hunter 7, no Texas.

“Estou muito empolgado para fazer a super luta deste evento. Eu já participei de um evento assim no Rio de Janeiro e foi o máximo. Agora será no EUA e mesmo participando de vários eventos de MMA por lá, fazer a super luta deste evento de luta casada é fascinante. Serão sete minutos de luta e só vale finalização. Vou para pegar e trazer esse título para o Amazonas”, declarou.

Antes do evento Texas Submission Hunter 7, Trindade participará do All Americas da SJJIF de Kimono e sem Kimono, marcado para os dias 20 e 21, em Los Angeles.

c6d7da89-0da5-452b-8c3f-25671bec17c9-1

Instituto Diego Trindade realizou Natal solidário em comunidades de Manaus

Dona Elza Trindade, presidente do Instituto Diego Trindade, mais uma vez deu um show de solidariedade e amor ao próximo neste fim de ano. No último dia 24, dona Elza e os filhos Fabio Trindade , faixa preta de jiu-jitsu e Felipe Trindade, jogador Rugby distribuíram brinquedos por algumas comunidades de Manaus.

Através do Instituto Diego Trindade – lutado por um mundo melhor, muitas crianças tem sido beneficiadas. Além da distribuição dos brinquedos que acontece todo ano, no mês de dezembro, Dona Elza doa kimonos, realiza o dia do Cinema em comunidades e mantem o projeto social, localizado na União da Vitória, comunidade próxima a Barreira e que tem como professor, o faixa preta de jiu-jitsu da Monteiro, Leandro Lucas.

9780942a-588e-4d86-ab63-ffbbc1dea814

Entrevista com o faixa preta de jiu-jitsu Fabio Trindade

O faixa preta de jiu-jitsu Fabio Trindade é considerado um dos maiores nomes da luta amazonense. Com vários títulos nacionais e internacionais, o lutador acaba de conquistar mais uma medalha, desta vez no Mundial GI e NOGI, na Califórnia. Em entrevista ao site NoPodio, o Trindade fala da carreira, da suspensão no EUA e do irmão Diego, confira a entrevista:

NP: Fale da polêmica envolvendo a punição na luta do evento FURY FC.
FT: Fiz a co luta principal na categoria 77kg contra Charlie Ontiveros, considerado um dos melhores desse peso no Texas, inclusive lutou no Bellator. Comecei bem, impondo meu ritmo, estava dominando a luta, botei ele para baixo e comecei um ground pound agressivo, ele tentou um arm lock, frouxo por sinal e fiz a saída, sem querer, pisei de raspão no seu rosto, foi um acidente de trabalho, acontece em todo evento. Ele aproveitou fez uma cena e não voltou para lutar, saindo de colar cervical e carregado. Através desse site www.ffcmma.com , é possível ver tudo, ele realmente é um ótimo ator. O Charlie e a comissão atlética me processaram. Recebi uma carta avisando que seria investigado as circunstancias desse acidente, mais fiquei tranquilo , sempre de consciência limpa. Infelizmente ao fim da investigação, fui processado em cinco mil dólares e sem dinheiro para pagar advogado, fui obrigado a aceitar a culpa e tentar fazer um acordo. Me deram duas opções, um ano suspenso e pagando 2.200 dólares ou pagar 3.750 dólares parcelado e assim poder continuar a lutar MMA nos EUA, aceitei a segunda opção. O estranho é que se eu causei danos irreversíveis em seu rosto e ombro, para toda a vida como foi alegado, como é que dois meses depois, ele já estava lutando?

NP: Fale da conquista no Mundial GI e NOGI .
FT: Saí do Texas e fui para a Califórnia lutar o Mundial GI e NOGI da SJJI, na Pirâmide, em Long Beach. Na competição de kimono acabei perdendo na semifinal, pois já estava há dois meses sem botar o kimono. Eu já sabia que sem kimono seria bem melhor e foi o que aconteceu, fiz três lutas, finalizei a primeira, a segunda venci por 6 a 0 e a final venci por 9 a 2, me tornando bicampeão NOGI 2015/2016.

NP: Alguma luta marcada?
FT: No momento estou sem luta marcada de MMA, mas tenho proposta para lutar na Europa em 2017 e começando a pagar a multa, com certeza serei chamado pelo Fury, RFA ou Legacy .

NP: Quais os projetos futuros?
FT: Volto para a América em Fevereiro e vou continuar lutando de kimono e sem kimono, com certeza MMA também. A última luta que fiz foi no RFA, considerado um dos maiores eventos do mundo. Lutei no card principal contra o quinto do ranking e fiz um lutaço na categoria 77kg, sendo que minha categoria é 70kg. Venci os dois round e meio e por um erro de estratégia acabei perdendo no final do terceiro round. Recebi muitos elogios da organização do evento, gostaram muito da minha luta.

NP: Como você começou a treinar jiu-jitsu?
FT: Comecei a treinar jiu-jitsu em 1997, na academia Monteiro. Eu sempre via o Royce Gracie lutando e queria ser como ele.

NP: Quais seus principais títulos no jiu-jitsu?
FT: Campeão Mundial de jiu-jitsu 2015 SJJIF, Bicampeão Mundial NOGI 2015/2016 SJJIF, quatro medalhas de bronze nos campeonatos Mundiais da IBJJF, tricampeão Brasileiro de jiu-jitsu pela CBJJ, sete vezes campeão Amazonense, Campeão Sul-Americano pela IBJJF, campeão do Open Las Vegas IBJJF, tricampeão Naga de kimono e sem kimono (Las Vegas, Houston, Austin), campeão Five Grappling de kimonon e sem kimono em Dallas Texas .

NP: Como esta seu cartel de lutas no MMA?
FT: Cinco vitórias, três derrotas e uma desclassificação.

NP: Quais as maiores dificuldades que enfrentou ou enfrenta no jiu-jitsu?
FT: As dificuldades são sempre as mesmas, a dificuldade nos patrocínios e a pouca valorização. É por isso que hoje em dia luto mais nos EUA, onde nos somos valorizados de verdade.

NP: Fale do seu irmão Diego Trindade.
FT: Diego, meu irmãozinho. Ia ser melhor que eu, tinha certeza disso. Ele tinha um coração gigante, era uma pessoa do bem, o cara que sempre me incentivou e acreditava muito em mim. Ele falava para todo mundo que “eu era o cara”. Ele falava que era meu fã, sendo que eu era fã dele. Meu maior objetivo é deixar ele orgulhoso, esteja ele onde estiver. Hoje temos o Instituto Diego Trindade que é um projeto social. Fazemos o Natal Solidário, onde entregamos brinquedos e roupas para crianças carentes. Essa era a ideia dele, ajudar pessoas e a minha mãe toca a Instituição, continuando esse sonho. Também fazemos a Copa Diego Trindade, onde as inscrições para as crianças são gratuitas.

NP: Fale das histórias marcantes em sua trajetória na luta.
FT: Ano que vem farei 20 anos de jiu-jitsu e 10 anos no MMA. Tem muita coisa que rolou. Mas o que torna marcante não são os títulos mas servir de exemplo, mostrar que apesar de todas as coisas ruins que acontecem , temos que confiar e nunca desistir. Não sou perfeito, mas tento ser o melhor possível como cidadão. Tento ser como o Diego que era uma pessoa impecável, que ajudava todos, era educado, simpático, engraçado e levava alegria onde estivesse. Uma das coisas mais sinistras que presenciei, foi quando estava como corner do Cyborg, na luta contra o Paige, no Bellator, em Londres. Vi de perto a testa dele afundando e saí do ginásio na ambulância, passei a noite no hospital acompanhando tudo. Na ocasião, faltavam duas semanas para minha luta no RFA, então percebi o quanto é perigoso e traumático o esporte que amamos. Por isso, todos que se submetem a subir no cage para lutar, independente de vitória ou derrota é digno de respeito.

Por: Greici Fernandes

Com luta marcada no Fury FC, Fabio Trindade fará camp na Chute Boxe Team Cyborg.

O faixa preta de jiu-jitsu, Fabio Trindade embarca no dia 15 de outubro, para Houston, no Texas, onde fará camp na Chute Boxe Team Cyborg.

No dia 18 de novembro, o amazonense vai encarar americano campeão de wrestling e 12 no ranking do Texas, Alec Williams, no Fury FC.

fc8a6f81-a0b0-4cbb-85ca-9bbfe71c0cbaMirando a vitória, o atleta vem intensificando os treinos para este confronto. “Agradeço ao Guto Monteiro e a equipe Monteiro, a equipe Nelio Thai, Seleção Amazonense de Wrestling e o professor de boxe Leno Soares que estão me ajudando a chegar no camp pronto para guerra, quando chegar lá só vou fazer os ajustes”, explicou.

Colecionador de títulos no jiu-jitsu e no MMA, Fabio Trindade que é considerado um dos maiores nomes da luta no Amazonas, vivencia a triste realidade do esporte: a falta de patrocínio.

O lutador conseguiu a passagem através da Secretaria Estadual de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). “É difícil patrocínio, a passagem consegui através da Sejel, estou na corrida, mas sei que no final dará tudo certo. Estou super motivado, essa será minha terceira luta do ano, vou em busca da vitória e dessa forma poder subir no ranking”, declarou.

Quem tiver interesse em saber mais sobre o trabalho do atleta e tiver interesse em patrocinar, pode entrar em contato através do telefone e (92) 99223-6875.

O faixa preta de jiu-jitsu, Fabio Trindade embarca no dia 15 de outubro, para Houston, no Texas, onde fará camp na Chute Boxe Team Cyborg.

No dia 18 de novembro, o amazonense vai encarar americano campeão de wrestling e 1 no ranking do Texas, Alec Williams, no Fury FC.

Mirando a vitória, o atleta vem intensificando os treinos para este confronto. “Agradeço ao Guto Monteiro e a equipe Monteiro, a equipe Nelio Thai, Seleção Amazonense de Wrestling e o professor de boxe Leno Soares que estão me ajudando a chegar no camp pronto para guerra, quando chegar lá só vou fazer os ajustes”, explicou.

Colecionador de títulos no jiu-jitsu e no MMA, Fabio Trindade que é considerado um dos maiores nomes da luta no Amazonas, vivencia a triste realidade do esporte: a falta de patrocínio.

O lutador conseguiu a passagem através da Secretaria Estadual de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). “É difícil patrocínio, a passagem consegui através da Sejel, estou na corrida, mas sei que no final dará tudo certo. Estou super motivado, essa será minha terceira luta do ano, vou em busca da vitória e dessa forma poder subir no ranking”, declarou.

Quem tiver interesse em saber mais sobre o trabalho do atleta e tiver interesse em patrocinar, pode entrar em contato através do telefone e (92) 99223-6875.

Busca no Site

 

mastering

 

 

Top 10 Notícias

Newsletter