Matheus, Marajó e Rayla levam cinturões no Rei da Selva 10, em Manaus

Três cinturões têm novos donos no Rei da Selva Combat, o evento de MMA que mais cresce em credibilidade na Região Norte do Brasil. Na noite deste sábado, 11 de novembro, no auditório Nina Lins, na Universidade Nilton Lins, em Manaus, Matheus da Silva (Vermelho Fight/Clube Freitas), Marcos Marajó (SD System/Checkmat) e Rayla Nascimento (JMT/CT Manaus Fight) conquistaram os títulos das categorias mosca, pena e galo, respectivamente.

O paraense Matheus da Silva, que já era campeão do peso palha, faturou seu segundo cinturão da organização ao vencer Luiz Guerreiro (Império CT) por decisão unânime. O combate entre os atletas foi o melhor da noite, com uma apresentação que juntou técnicas refinadas de jiu-jítsu, boxe, muay thai e até capoeira.

Com vitória – a 11ª consecutiva na invicta carreira -, o atleta da equipe Vermelho Fight entra para a história do Rei da Selva como primeiro atleta a conquistar cinturões em duas categoria distintas. O paraense, que tem base em Manaus no Clube Freitas de Jiu-Jítsu do bairro do Mutirão, desabafou contra o preconceito sofrido antes da luta.

“Mandaram mensagem para mim nas redes sociais dizendo que eu só ganharia esse cinturão se fosse roubado, mas estou aqui para dizer que o povo paraense é guerreiro e trabalhador. Somos atletas e precisamos ser respeitados”, desabafou o “Pequeno Sinistro” do município de Juruti (a 848 quilômetros de Belém).

Luiz Guerreiro, mesmo derrotado por pontos, ficou feliz por ter feito um confronto histórico. O atleta da academia Império CT fez uma grande apresentação, mas esbarrou no excelente preparo e no coração valente do adversário.

“Nossa luta foi uma guerra, todos gostaram e não tenho o que reclamar. Demos o máximo, um show para a galera. Foi uma honra lutar com o Matheus, que é um cara muito duro e mereceu a vitória. Agradeço aos meus apoiadores e patrocinadores. Voltarei mais forte”, comentou Guerreiro.

Novo campeão dos penas

Na divisão até 66 kg, Marcos Marajó fez valer sua maior envergadura e dominou os três rounds contra Marcelino Cavalcante (Cavalcante Team/CT Brunocilla). O lutador da SD System, que é natural de Oriximiná (PA) e mora em Manaus, dominou o centro do “cage”, tomando a iniciativa do combate com chutes altos e boa defesa de quedas, já que a estratégia do oponente era levar a definição para o jogo de solo. A decisão unânime premiou a boa fase de Marajó, que é um dos atletas mais cerebrais do circuito profissional do Amazonas.

Rainha Interina

O GP Feminino foi outra atração do Rei da Selva 10 – Edição Ouro. Nas semifinais, Pâmela Valente (Team Cardoso) venceu Joicy Tabosa (Nonato Muay Thai)  e Rayla Nascimento (JMT/CT Manaus Fight) superou Fabiulane Melo (RCT/Coari).

Pâmela e Rayla fizeram a final do GP no 13º combate da noite. A luta foi bastante equilibrada nos três rounds. A definição foi parar nas mãos dos juízes laterais, que deram vitória por decisão dividida para a aluna do professor Jefferson de Paula. Rayla então recebeu o cinturão interino do peso galo e depois fez a encarada com a dona do título linear, Mayana Kellem. O combate para definição da única Rainha da Selva está previsto para 2018.

“Dedico essa vitória especialmente ao meu filho, Luiz Guilherme, pois às vezes abro mão da companhia dele para me dedicar aos treinos. Também não posso deixar e agradecer ao professor Jefferson de Paula, que acreditou em mim quando ninguém acreditava. Apesar de a JMT ser uma equipe pequena, hoje temos dois cinturões do Rei da Selva”, disse Rayla, destacando que a colega de treino Joice Mara da Silva é campeã do peso palha da organização.

Rei da Selva 10 – resultados oficiais:

Local: auditório Nina Lins, Universidade Nilton Lins, Manaus

Card Principal:

Até 66 kg – Marcos Marajó (SD System/Checkmat) venceu Marcelino Cavalcante (Cavalcante Team/CT Brunocilla) por decisão unânime e conquistou o cinturão da categoria;

Até 61 kg – Rayla Nascimento (JMT/CT Manaus Fight) venceu Pâmela Gisele Valente (Team Cardoso) por decisão dividida;

Até 57 kg – Matheus da Silva (Vermelho Fight/Clube Freitas) venceu Luiz Guerreiro (Império CT) por decisão unânime;

Até 77 kg – Patric Brabão (MPBJJ/Nova União) venceu Victor Neves (Team Cardoso/Osvaldo Alves) por decisão unânime;

Até 75 kg – peso combinado – André Leocádio “Batata” (MPBJJ/Nova União) venceu Júnior Cachoeira (Careca Team) por finalização em chave de braço aos 3min02seg do primeiro round;

Até 52 kg – Andreza Belfort (X-Union) venceu Alessandra Nunes “Lelê” (Deo Academy Top Team) por decisão unânime;

Até 70 kg – Moisés Costa (SD System/Checkmat) venceu Elias Xavier (CT Operacional) por nocaute técnico aos 2min09seg do primeiro round;

Card Preliminar:

Até 79 kg – peso combinado – x Valmir Júnior (Team X-Union/CT Brunocilla) venceu Caio Cásar “Parangolé” (Império CT)  por nocaute técnico aos 3min40 do primeiro round;

Até 57 kg – Felipe Lima “D’Ouro” (SD System/Checkmat) venceu Tião Calixto (Deo Academy Top Team) por decisão unânime;

Até 84 kg – Salles Jackson (MPBJJ/Nova União) venceu Wagner “Monstro” (Team Cardoso) por nocaute técnico aos 4min10seg do terceiro round;

Até 66 kg – Jamerson “Pistoleiro” Oliveira (RCT/Coari) venceu Wanderson “Stronda” (The Pride) por decisão unânime;

Até 66 kg – Bruno Quintanilha (SD System/Champions Factory) venceu Ronacy Cowboy (CT Operacional) por nocaute técnico aos 45seg do primeiro round;

Até 61 kg – Rayla Nascimento (CT Manaus Fight JMT) venceu Fabiulane Melo (RCT/Coari) por decisão dividida;

Até 61 kg – Pâmela Gisele Valente (Team Cardoso) venceu Joicy Tabosa (Nonato Muay Thai) por decisão unânime.

Texto: Emanuel Siqueira

Foto: Lorena Furtado

Busca no Site

 

mastering

 

 

Top 10 Notícias

Newsletter